Crítica sobre o Blu-ray "Paramount - 169 Min." do filme "Resgate do Soldado Ryan, O":

Jorge Saldanha
Resgate do Soldado Ryan, O Por Jorge Saldanha
| Data: 03/07/2010
O RESGATE DO SOLDADO RYAN chega em Blu-ray ao Brasil em uma edição com dois discos praticamente idêntica à que a Paramount lançou nos EUA. A principal diferença é a qualidade inferior de impressão do rótulo dos BDs, replicados aqui pela Videolar. O resto, a começar pelos menus em inglês, é igual. Quanto à qualidade do vídeo, o filme recebeu uma transferência 1080p AVC MPEG-4, que está no primeiro disco - um BD-50 de dupla camada - que impressiona pelo alto nível de detalhe e pretos sólidos. O longa foi filmado em 35mm na proporção de tela 1.85:1, com uma paleta de cores esmaecida em determinados momentos (provavelmente para diminuir o impacto nas cenas de sangue e mutilação), porém em outros elas surgem fortes e firmes, como quando os soldados cruzam os verdes campos da França. Apesar de notarmos clara e ocasionalmente a granulação e pontos brancos inerentes à película de 35mm, isso não chega a ser um problema. Até que venha uma nova edição totalmente restaurada, e considerando que o filme já possui 12 anos, está é sem dúvida uma exuberante apresentação visual de O RESGATE DO SOLDADO RYAN que compensa o upgrade em relação às versões anteriores em DVD.

Quanto ao áudio, merece menção honrosa o fato de que este é o primeiro Blu-ray da Paramount que traz uma dublagem em português, ainda que “apenas” Dolby Digital 5.1. Muitos preferem assistir a filmes dublados, e essa era uma das principais críticas aos lançamentos em alta definição da distribuidora. Contudo, para quem quer de fato apreciar a potência sonora do filme, a opção tem de ser a faixa lossless original em inglês DTS-HD 5.1 Master Audio. Muito superior à mixagem Dolby Digital 5.1 dos DVDs anteriores, ela é de fato material de demonstração, estando à altura das faixas DTS em alta definição de títulos recentes. Seu poder de fogo é demonstrado já na sequência inicial de 20 minutos, onde o som engolfa o ouvinte com graves arrasadores e efeitos surround agressivos, que aliados às imagens impactantes e violentas nos dá a impressão de estarmos na Praia Omaha, em pleno Dia D. Quando as coisas acalmam ouvimos os diálogos de forma cristalina vindos do canal central. Os sons ambientais, como trovões ouvidos de fundo, mantém o senso de imersão no filme. Isso até chegarmos à batalha final, onde o som dos tanques se aproximando, vindos do subwoofer, voltam a fazer sua sala tremer e dão uma ideia do que ainda está para vir em termos de impacto sonoro. E a propósito, não notei o erro de sincronia sonora que havia a partir do capítulo 15 nos primeiros BDs de RYAN que foram lançados nos EUA, que obrigaram a Paramount a fazer um programa de troca de discos por lá. As legendas HD, brancas, estão disponíveis nos mesmos idiomas das opções de áudio - português, inglês, espanhol e francês.